ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    Agricultura
    Com Feira Livre, Atílio Vivácqua investe R$ 365 mil na agricultura familiar O valor é oriundo do tíquete-feira, benefício concedido a servidores municipais para ser utilizado na compra de produtos vendidos na Feira Livre.
    (Foto: Divulgação)
    Autor: Conexão ES
    21 de Fevereiro de 2020 às 05h50

    Com o intuito de fomentar a agricultura familiar de Atílio Vivácqua, a prefeitura vem investindo, por ano, cerca de R$ 365 mil. Esse montante é oriundo do tíquete-feira, benefício concedido a servidores municipais para ser utilizado na compra de produtos vendidos na Feira Livre promovida na Praça Filocleto Alves de Araújo (Praça da Rodoviária), no bairro Niterói.

    Alface, couve, cebolinha, jiló, quiabo e ovos, além de mercadorias agroindustriais, como pães, palmito semiprocessado, produtos cárneos e doces, estão entre as 50 variedades de itens comercializados na feira, que é realizada uma vez por semana, às terças, a partir das 15h45. No local, os visitantes encontram, ainda, salgados e sucos.

    Cada servidor recebe, mensalmente, R$ 50 de tíquete. São, no total, 14 feirantes, que, juntos, faturam em torno de R$ 30 mil, por mês. Essa média inclui tanto valores provenientes do benefício repassado pela prefeitura, como aqueles pagos em dinheiro pelos demais consumidores, visto que a feira é aberta para toda a população.

    “A Feira Livre é um instrumento de segurança alimentar, pois garante alimentos seguros e de qualidade para os servidores, suas famílias e demais consumidores. Também é fator de geração de trabalho e renda para os agricultores familiares participantes”, frisa o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, José Arcanjo Nunes.

    Incentivos

    O município dispõe de vários incentivos para os feirantes, a exemplo da chamada Lei Hora Máquina, específica para atendimento às propriedades rurais atilienses com maquinário. Por meio desta iniciativa, os produtores participantes da Feira Livre possuem prioridades e descontos diferenciados.

    Outro incentivo é o acompanhamento técnico nas propriedades dos agricultores que comercializam na feira, com orientações tanto nas propriedades produtoras de hortifrutigranjeiros, quanto naquelas que possuem agroindústrias.

    Inspeção

    Os produtos de origem animal vendidos na Feira Livre são registrados no Serviço de Inspeção Municipal (SIM), que é vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural. Já os de origem vegetal são registrados pela Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde.

    Cadastro

    Os agricultores familiares que tiverem interesse de comercializar seus produtos na feira devem realizar um cadastro na sede da Secretaria de Desenvolvimento Rural, localizada no Centro Cultural e Esportivo “Scarpão”, no bairro Niterói. O atendimento é de segunda a sexta, das 7h às 13h, até o fim deste mês. A partir de 2 de março, voltará a funcionar das 7h às 16h.

    Após análise documental e in loco, o cadastro é submetido à aprovação do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, que considera, dentre outros critérios e fatores, o número de barracas disponíveis e a relação de produtos a serem comercializados.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento do Conexão ES.