ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    COLUNISTAS Felipe Gobbi Vanini
    Sobre o dorso dos cavalos
    Por Felipe Gobbi Vanini
    01 de Julho de 2019 às 08h10

    Desde o início dos tempos os humanos queriam ter mais territórios em seu domínio, pois ter terras era sinônimo de poder, as navegações serviam para lugares banhados por mar, e os camelos por lugares muito quentes e de longa duração, para então se locomover melhor entre florestas e terrenos bons, que surgiu a técnica do hipismo sentado no dorso dos cavalos o homem subjugou o mundo, conquistou cidades, mas também manchou a terra com o sangue das guerras com estes animais.

    Estes animais corriam pelas colinas desde a América até a Europa livres como o vento, até que pelo poder, os humanos, tiraram suas liberdades e os subjugaram fizeram lutar em guerras que marcaram a terra, mas atualmente existem pessoas que perceberam isso e não escravizam seu animal e sim o tratam como seu semelhante, e junto a ele correm pela terra saltando por obstáculos, por troncos, apenas par terem o espírito aventureiro.  

    Eles estão espalhados pela face da terra em inúmeras espécies, presentes em varias religiões, citado em filmes e livros, os cavalos dominaram o cinema como os clássicos Flicka, existente na literatura como: o unicórnio, o pegasus ( cavalo com asas) e o hipocampo (um animal metade cavalo metade peixe), os cavalos conquistaram o mundo inteiro e não pararam por aí sempre mostraram lealdade a aqueles que mereciam e enfrentaram as piores feras do mundo.

    Então para aquelas pessoas, que tratam esse animal como um ser repugnante saiba que sem eles talvez o homem não tivesse conquistado todo o que conquistou talvez guerras fossem perdidas, sem estes animais o passado presente ou futuro seriam alterados, e assim deixo essa reflexão para todos aqueles que querem o mais forte e perfeito animal, e humilham aquele que é sofrido.  

    Felipe Gobbi Vanini Felipe Gobbi Vanini tem 12 anos, mora em Vargem Alta e está no 7º ano do ensino fundamental. Ele é o escritor do livro "O Sonho de Rapidinho", que foi lançado em outubro de 2016.

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento do Conexão ES.