Concursos devem abrir mais de 20 mil vagas neste semestre - Conexão ES
ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    Economia
    Concursos devem abrir mais de 20 mil vagas neste semestre O candidato deve escolher qual concurso deseja concorrer e se preparar sob medida para ele
    (Foto: Reprodução/Internet)
    Autor: Conexão ES
    12 de Agosto de 2019 às 07h58

    Cinco grandes concursos prometem abrir mais de 20 mil vagas para o serviço público no segundo semestre: Polícia Rodoviária Federal, Instituto do Seguro Social (INSS), Receita Federal, Ministério do Trabalho e Ministério da Justiça.

    É o que aponta levantamento feito pelo Complexo de Ensino Renato Saraiva (CERS), a pedido do R7.

    Apesar de 2019 ser o primeiro ano de atuação do novo governo federal – quando normalmente há contenção dos concursos –, o quadro para o segundo semestre é bastante promissor, segundo Renato Saraiva, fundador do CERS.

    “Todo início de governo federal há uma retração porque o governante que chega quer tomar partido do que está acontecendo antes de iniciar os processos seletivos. Neste ano, com a reforma da Previdência e muitos servidores se aposentando, o governo não teve como adiar a realização das provas”, diz Renato Saraiva, fundador do CERS.

    De acordo com ele, a Polícia Rodoviária Federal estuda realizar um novo concurso ainda este ano, e a expectativa é de que as oportunidades sejam para a carreira de policial rodoviário.

    O cargo exige nível superior e tem inicial de R$ 9 mil. “Temos um concurso em andamento, mas ele não supre o déficit de profissionais na corporação.”

    Outra aposta de Saraiva é a prova da Receita Federal do Brasil que, segundo ele, conta com um déficit de mais de 21 mil servidores.

    O órgão já pediu autorização para a realização de um concurso com 5.000 vagas, com cargo inicial que tem remuneração de até R$ 12 mil.

    Ministério do Trabalho e da Justiça também estão com solicitação de concurso protocoladas por causa de déficit de servidores em ambas as pastas, de acordo com o especialista.

    Por último, ele lembra que o superintendente do INSS no Piauí, Ney Ferraz, já deu entrevista confirmando a autorização para um concurso com mais de 17 mil vagas.

    Segundo Saraiva, o edital será publicado no segundo semestre e o salário inicial será de até R$ 12,6 mil.

    Gabriel Henrique Pinto, diretor e professor da Central de Concursos, destaca que é sabido que 50% dos servidores do INSS estão em condições de se aposentar.

    “Grande parte dos servidores públicos está aguardando a reforma da Previdência para ver se vai entrar com o pedido de aposentadoria ou não. Provavelmente haverá uma debandada geral de servidores e o poder público precisará repor. Sei que o governo está preocupado em conter gastos, mas é impossível não fazer concursos para suprir esse déficit. ”

    Polícia Civil e Militar devem abrir 10 mil vagas em SP

    Pinto diz que vários concursos de prefeituras e estados já estão autorizados e devem publicar seus editais a qualquer momento.

    Em São Paulo, por exemplo, ele destaca os das polícias Civil e Militar que juntos abrirão mais de10 mil vagas, professor, coordenador pedagógico, auxiliar de promotoria, Detran e Tribunal de Contas do Município.

    “A maioria já tem autorização para sua realização e alguns estão aguardando o despacho. ”

    As inscrições para o concurso da PM de SP estão previstas para serem abertas na próxima quinta-feira (15) e seguirem até o dia 25 de setembro. Serão 2.700 para soldado da instituição. Poderão se candidatar homens e mulheres de 17 a 30 anos. O salário será de R$ 3.164,58.

    A inscrição deverá ser feita no site da Vunesp. A taxa será de R$ 50. As avaliações começarão no dia 24 de novembro. A taxa de inscrição será de R$ 50. 

    Decreto afeta apenas provas do Executivo Federal

    O decreto nº 9.739/2019, publicado pelo presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, que amplia as exigências para os órgãos do governo pedirem a abertura de novos concursos públicos, não deve afetar o volume de provas que serão promovidas em 2019. 

    Segundo Thallios Moraes, coordenador das carreiras de tribunais do Alfa Com, a nova legislação contempla apenas o âmbito federal, ou seja, não atinge a execução de concursos nas esferas do legislativo, judiciário, estadual e municipal.

    Moraes ressalta que nesse novo governo, a área de segurança pública ganhou destaque nas provas.

    “Foi uma política de campanha do Bolsonaro, aparelhar melhor a segurança pública. O governo está vendo a necessidade que os órgãos ligados à área apresentam com o déficit enorme de servidores. Os concursos devem se intensificar. ”

    Preparação deve ser específica para cada concurso

    Especialistas ouvidos pelo R7 são unânimes ao dizer que o candidato deve escolher qual concurso deseja concorrer e se preparar sob medida para ele.

    “O conteúdo das provas varia muito conforme o edital. Às vezes é possível se preparar para dois concursos ao mesmo tempo, mas não recomendamos. O ideal é estudar para apenas um”, diz Pinto.

    Para Saraiva a diferença do “concurseiro amador” e “concurseiro profissional” é justamente esta. O primeiro sai atirando para tudo quanto é lado, estuda para vários concursos de várias áreas ao mesmo tempo, e o segundo se dedica a um exclusivamente.

    Segundo ele, antes de qualquer decisão, é importante escolher uma área de atuação. “Quer ser policial, trabalhar em um tribunal ou ser fiscal? Decida e escolha uma área de atuação. É muito difícil atingir objetivo atirando para todos os lados.”

    Outra dica do especialista é que o candidato nunca pare de estudar até conquistar o cargo desejado.

    “O ideal é que ele acabe de prestar um concurso e já vá estudando para outro. Não dá para esperar o edital sair para começar a estudar porque ele é divulgado, normalmente, 90 dias antes da prova. É pouco tempo para o preparo. ”




    Fonte: Portal R7

    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento do Conexão ES.