ESCOLHA A SUA CIDADE
    HORA CERTA
    Polícia
    Suspeito de matar turista e estuprar mulher em Paraty fez mais quatro vítimas na cidade, diz polícia Polícia diz que o objetivo do acusado é totalmente de cunho sexual, não tem interesse em bens materiais e que pode ter mais casos, mas como não podem divulgar a foto dele, isso dificulta
    O suspeito de matar o turista lituano e estuprar cinco mulheres é levado para cadeia de Volta Redonda(Foto: Divulgação)
    Autor: Conexão ES
    08 de Fevereiro de 2020 às 08h15
    (Atualizada) 08 de Fevereiro de 2020 às 08h20
    O suspeito de assassinar o turista lituano Adam Zindul, de 37 anos, e estuprar a mulher dele, de 35, na Praia do Sono, em Paraty, fez mais quatro vítimas na cidade da Costa Verde do Rio. Duas mulheres já haviam registrado ocorrências contra o autor na 167ª DP (Paraty) até a noite de quinta-feira, e mais duas relataram a mesma acusação contra Edson Santos. Segundo o titular da DP, Marcelo Russo, umas das vítimas tinha 11 anos na época que sofreu a violência sexual, e o total de mulheres violadas já chega a cinco.

    Na manhã de sexta, uma quarta vítima foi ouvida logo após o acusado ser transferido para Cadeia Pública Franz de Castro Holzwarth, em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro, onde ele vai passar por uma audiência de custódia após ter sido autuado por homicídio, tentativa de feminicídio e estupro. A quinta denunciante está marcada para prestar depoimento na próxima semana.

    – Elas souberam que ele estava preso e se sentiram seguras de virem à delegacia para relatar seus casos. As pessoas correram por si só atrás da identificação do suspeito através da cobertura da imprensa, que colaborou e ainda colabora muito com o caso ao divulgar as informações. Uma vítima foi ouvida na manhã desta sexta-feira e outra está marcada para próxima semana – diz o delegado. – Estamos ouvindo as vítimas durante o procedimento e daqui a pouco teremos a conclusão com o relatório final para enviar à Justiça.

    O turista lituano Adam Zindul, de 37 anos, foi assassinado e sua mulher estuprada em Paraty Foto: Reprodução/Facebook


    Todas as mulheres residem em Paraty e são casos antigos. De acordo com o titular da 167ªDP, a forma como ele operava foi a mesma em todos os casos: ele surpreendia as vítimas e as amarrava para cometer os crimes. Para o delegado, outros casos podem ter ocorrido na cidade e mais vítimas podem aparecer.

    – O objetivo dele é totalmente de cunho sexual, não tem interesse em bens materiais. Podem ter mais casos, mas como não podemos divulgar a foto dele, isso dificulta. Esse é um caso singular. As vítimas não denunciaram antes porque estavam com medo, não vinham porque sabiam que ele estava solto. Elas se sentem vulneráveis e não vão prestar queixa. Nesses casos, elas souberam da prisão, desse crime grave e tiveram a coragem de denunciar – afirma o delegado.

    Vítima segue internada

    A vítima de estupro da última quarta-feira, uma paulistana de 35 anos, segue internada em observação no Hospital Municipal São Pedro de Alcântara, para onde foi levada por agentes do 33º BPM (Angra dos Reis) após o crime. Foi ela que identificou Edson Santos como o autor do assassinato do seu marido e que comenteu a violência seuxal contra ela.

    Edson é morador de Paraty e já tinha passagem na polícia por tráfico de drogas. Ele foi reconhecido pela mulher do lituano, que foi hospitalizada. À polícia, ela relatou que já vinha sendo assediada por ele há cerca de dois dias. O homem fazia serviço de capinagem na casa, que foi alugada pelo casal.

    O turista lituano e a mulher chegaram ao Brasil no último dia 28. Eles estavam em Paraty há quatro dias. A casa alugada de uma brasileira que mora no Canadá fica na Praia do Sono, a 27km do Centro do Paraty. Só é possível ter acesso ao local por uma trilha ou de barco.


    Fonte: Extra
    COMENTÁRIOS *
    * Opiniões expressas na área "Comentários" são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente representa o posicionamento do Conexão ES.